sábado, novembro 26, 2011

O SEU REFLEXO - Esperança de butica

Na continuação de “O SEU REFLEXO”, depois de:

Fotógrafo, Pernas, Rosa Rubra, venho com Esperança de butica.

Mais um poema inspirado em uma das fotos do amigo de Rud Erlhys Andrade

Eu não sabô lê

Eu não sabô iscreve

Como tôma conta di butica?

Eu sabô qui o sol é um rei

Qui a lua é parenta da Belinha

E o mar é quem beja areia

Eu não sabô lê

Eu não sabô iscreve

Como tôma conta di butica?

A Belinha sei que brinca di se lua

É pretinha e branca a bichinha

Cadela safada, sei purque Vó chamela assim

Eu não sabô lê

Eu não sabô iscreve

Como tôma conta di butica?

Papai foi prô céu

Mamãe foi atráis deli

Sei purque Vó falo, Mamãe é ciumênta

Eu não sabô lê

Eu não sabô iscreve

Como tôma conta di butica?

Fico sempre na beira da a ribeira

Zóio sempre pru céu

Belinha, cadela safada, sempre lá tãbém

Eu não sabô lê

Eu não sabô iscreve

Como tôma conta di butica?

Eu não vô pra butica do Tio

Vô olha pru céu

Pra vê hora qui Mãe acha Pai

Eu não sabô lê

Eu não sabô iscreve

Como tôma conta di butica?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...