segunda-feira, setembro 10, 2012

Tronco multicor




Nesta continuação ao conhecimento da religiosidade que é matriarca da religião afrobrasileira trago à coletânea Raiz de Baobá o Orixá Oxumaré. Gostaria de lembra-los que os textos que aqui apresento são a livre associação de sites que abordam o tema da religião afrobrasileira, e de livros que utilizo para minha pesquisa sobre o continente africano. Sites estes como:
(Candomblé – O mundo dos Orixás) 
(Raízesespirituais)


Única criação que me proponho são poemas que encontrará na esquerda deste blog.

Oxumaré (Òsùmàrè) é o Orixá de todos os movimentos, de todos os ciclos. Se um dia Oxumarê perder suas forças o mundo acabará, porque o universo é dinâmico e a Terra também se encontra em constante movimento. Imaginem só o planeta Terra sem os movimentos de translação e rotação; imaginem uma estação do ano permanente, uma noite permanente, um dia permanente.

É preciso que a Terra não deixe de se movimentar, que após o dia venha a noite, que o vapor das águas suba aos céus e caia novamente sobre a Terra em forma de chuva. Oxumaré não pode ser esquecido, pois o fim dos ciclos é o fim do mundo. Ele é uma grande cobra que envolve a Terra e o céu e assegura a unidade e a renovação do universo. Filho de Nanã Buruku, Oxumarê é originário de Mahi, no antigo Daomé, onde é conhecido como Dan. Na região de Ifé é chamado de Ajé Sàlugá, aquele que proporciona a riqueza aos homens.

Dizem que Oxumaré seria homem e mulher, mas, na verdade, este é mais um ciclo que ele representa: o ciclo da vida, pois da junção entre masculino e feminino é que a vida se perpetua. Oxumaré é um Orixá masculino, um deus ambíguo, duplo, que pertence à água e a terra, que é macho e é fêmea. Ele exprime a união de opostos, que se atraem e proporcionam a manutenção do universo e da vida. Sintetiza a duplicidade de todo o ser: mortal (no corpo) e imortal (no espírito).

Ele é o senhor de tudo que é alongado. O cordão umbilical que está sob o seu controle, é enterrado, geralmente com a placenta, aos pés de uma palmeira que se torna propriedade do recém-nascido, cuja saúde dependerá da boa conservação dessa árvore. Sincretizado no Brasil é identificado nas imagens de São Bartolomeu.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...